Teatro e liderança. Tudo a ver!

 

10 Out

Quem me conhece bem sabe o quanto eu sou apaixonado por teatro. É algo tão forte, presente e vivo que a cada vez que vou a algum espetáculo, uma emoção diferente toma conta, fazendo vibrar uma saudade bem viva e intacta na memória. Um sentimento de pertencimento fora do normal. Não sabia eu que essa arte iria me ajudar tanto em gestão e liderança, muitos anos depois.

Esse texto foi surgindo a cada instante da primeira apresentação da minha sobrinha Luma, no teatro do Colégio Santa Maria. O mesmo que pisei, senti e me emocionei quando fui aluno do Colégio. Conheci o teatro aos 15 anos. E divido minha vida em antes e depois dele. Me dediquei vários anos. E muito tempo depois vejo o quanto o teatro me ajudou e ensinou, em todas as áreas, principalmente no caminho da gestão e da liderança. Que viagem, Diego!!! Você pode estar comentando. O que tem a ver teatro e gestão? Teatro e liderança? Tas viajando? Sim, uma viagem positiva, de olhares e passos diferentes. E você é o meu convidado para tentar entender essas cenas importantes, num roteiro pessoal e profissional em busca da excelência.

No teatro é fundamental ouvir o outro. Não adianta nada decorar seu texto, pensar apenas na sua fala e esquecer com quem está contracenando. Ouvir o outro é fundamental para o prosseguimento das cenas. Uma mudança de texto no companheiro de cena e logo você também vai ter que mudar algo, entendendo aquilo que foi dito. Ouvir. Verbo essencial, no teatro e na liderança.

No teatro é essencial também fazer o outro crescer, o outro brilhar. Não adianta apenas pensar no brilho próprio. Os verdadeiros protagonistas fazem os “coadjuvantes” crescerem. Eles crescendo, toda a cena e todo o espetáculo crescem também. Ganhando o conjunto, o coletivo. Fazer crescer é essencial, no teatro e na liderança.

No teatro, os erros aparecem. O grande desafio não é não é errar, mas sim como sair do erro caso ele surja. É o tal do improviso positivo. O ajuste mesmo com a peça em andamento. As alternativas estudadas de maneira imediata para superar uma dificuldade. Para isso é preciso conhecimento, entendimento de todo o processo e claro, como foi dito antes, ouvir atentamente o próximo. Como se adaptar aos erros e alterar rotas, estando em sintonia com o próximo. Cenas vivas necessárias ao teatro e a liderança.

Se comunicar bem é essencial no teatro. A respiração. A voz. O tom. As inflexões. O volume. A intensidade. A dicção. A clareza na fala. A postura diante da plateia. Na liderança também. Líder que não se comunica bem se trumbica.

Sem contar a ansiedade que antecede os grandes momentos, como uma estreia de espetáculo. O não dormir, o  frio na barriga, o pensamento constante nas cenas, no texto. Sentimentos bem presentes no dia a dia organizacional com grandes momentos, eventos ou decisões. O pensar em tudo, o focar soluções, o buscar a mente clara, o foco e a concentração, são fundamentais, no palco e no dia a dia de qualquer líder.

Não adianta apenas talento individual. Não tem dom. É preciso ensaiar. E saber que existe um trabalho integrado. Uma interdependência do bem. Atores, iluminadores, diretores, contra regra, produtor, sonoplastas, cenógrafos. Um depende do outro. Outro depende do um. Isso é rede. É compartilhar autoria. Tornando o resultado mais forte. Isso é teatro. Isso é liderança.

Não adianta só técnica. Teatro não é feito apenas disso. Conhecimento nessa área é importante. Mas não se conecta ao público se não tiver algo mais que necessário: emoção. Atuar com coração. Liderar com o coração. Eis o caminho.

Ah, mas também tem as críticas, as vaias, os elogios, os aplausos. O resultado de algo ou alguém não pode ser determinado apenas por um momento ou por uma circunstância. No teatro, é preciso lidar com os dois momentos antagônicos da mesma maneira. Com equilíbrio. Nem se empolgar demais no momento positivo. Nem se abater demais no negativo. O mesmo acontece na rotina de um líder com seu time.

E se fez um espetáculo muito bom, trate de comemorar rápido e de ensaiar mais. Ajustando erros. Buscando novos acertos. Sendo melhor hoje do que ontem. Melhor amanhã do que hoje. Melhoria continua!  No teatro e na liderança. Roteiro essencial nos palcos e na vida!