Pai ausente?

 

29 Ago

Abraço. Beijo. Gratidão. Domingo de dia dos pais sempre exalta e exibe esses sentimentos e gestos tão positivos. Por outro lado, há muitos abraços e beijos que não foram dados. Muitas fotos que não foram tiradas. Textos que não foram postados. Sentimentos que não foram expostos. Ou que sequer existiram.

Gente que poderia estar lendo um ótimo textão. Gente que poderia estar comemorando num almoço e café da manhã. Gente que poderia estar agradecendo por abraçar quem ama. Poderia... um tempo verbal que traz muitos significados e muitas reflexões. A primeira delas é a seguinte: o que devem estar pensando esses que estão apenas conjugando e sentindo esse tal “poderia”?

Vamos à outras interrogações ...

Será que vão criar o dia do pai ausente? O dia do pai distante? Como seriam essas homenagens? E os presentes dos ausentes? Antes de imaginar, que tal começarmos logo a desmistificar e desconstruir essas expressões: “Pai distante”. “Pai ausente”. É preciso apagar esses termos do dicionário da vida real!

Não existe pai ausente. Não existe pai distante. Existe Pai! Pai é Pai! Na integralidade. Na totalidade do que esse significado, ou melhor, esse conjunto de significados traz para cada pessoa.

Pai não é um simples termo ou rótulo ou cargo. Pai é missão! É ter nos filhos a real essência de propósito. É viver com e para eles.

Uma missão que por causa dos seres ausentes ou distantes outros familiares acabam assumindo (não o cargo ou rótulo ou termo). E fazem com tão grande sabedoria e felicidade, diminuindo as consequências da ausência de uma figura paterna, fazendo multiplicar os melhores sentimentos da vida. São presentes e presentes!!

As mães, avós, tios, irmãos e até amigos que assumem e sentem essa missão, sendo presentes e presentes, parabéns!!!!